Reduzir fonteLetra tamanho normalAumentar fonte

Contacto

Horário:
De terça a sexta-feira 09h00 às 18h30
Segunda-feira e sábado das 09h30 às 13h00 e 15h00 às 18h30
Rua João da Costa nº16

2240-356 Ferreira do Zêzere

249360152

Eventos

Seg.Ter.Qua.Qui.Sex.Sáb.Dom.
1
Data : sábado, 1 de fevereiro
3
Data : segunda, 3 de fevereiro
4
Data : terça, 4 de fevereiro
5
Data : quarta, 5 de fevereiro
6
Data : quinta, 6 de fevereiro
7
Data : sexta, 7 de fevereiro
8
Data : sábado, 8 de fevereiro
10
Data : segunda, 10 de fevereiro
11
Data : terça, 11 de fevereiro
12
Data : quarta, 12 de fevereiro
13
Data : quinta, 13 de fevereiro
14
Data : sexta, 14 de fevereiro
17
Data : segunda, 17 de fevereiro
18
Data : terça, 18 de fevereiro
19
Data : quarta, 19 de fevereiro
20
Data : quinta, 20 de fevereiro
21
Data : sexta, 21 de fevereiro
22
Data : sábado, 22 de fevereiro
23
Data : domingo, 23 de fevereiro
24
Data : segunda, 24 de fevereiro
25
Data : terça, 25 de fevereiro
26
Data : quarta, 26 de fevereiro
27
Data : quinta, 27 de fevereiro
28
Data : sexta, 28 de fevereiro
29
Data : sábado, 29 de fevereiro
Aplicação Descubra Ferreira do Zêzere
turismo-do-centro

45 anos do 25 de abril na Biblioteca

25 de abril

Esta semana assinalamos no átrio da Biblioteca Municipal Dr. António Baião de Ferreira do Zêzere, a revolução de 25 de abril de 1974, com uma exposição documental em vários suportes e para várias classes etárias.

Na madrugada de 25 Abril de 1974, forças militares ocuparam pontos estratégicos em Lisboa e derrubaram a ditadura do Estado Novo, implantada também por militares em 1926.

Às primeiras horas da manhã, militares de vários ramos, ocuparam pontos estratégicos na capital portuguesa, com o objetivo de derrubar o regime do Estado Novo. Os sinais de código para dar o arranque das operações – canções de Paulo de Carvalho e Zeca Afonso – foram transmitidos através da rádio nas horas anteriores.

A zona dos ministérios, órgãos de comunicação e outros locais considerados sensíveis foram subjugados pelos militares sublevados.

A reação do regime foi lenta e ineficaz. O presidente do Conselho de Ministros, Marcelo Caetano, refugiou-se no Quartel do Carmo, de onde saiu sob escolta militar do capitão Salgueiro Maia, em direção ao exílio. Nas horas seguintes foi criada a Junta de Salvação Nacional.

In: http://ensina.rtp.pt/artigo/a-revolucao-de-25-de-abril-de-1974/

Os cookies ajudam ao correto funcionamento deste sítio. Política de privacidade .

Ao utilizar os nossos serviços, concorda com a sua utilização.
Política de privacidade